14 de junho de 2010

EU NÃO TENHO IDADE

Não me perguntem quantos anos tenho
Perguntem quantos amores eu vivi
Quantas cartas mandei
Quantos caminhos percorri.

O que importa quantos anos tenho
Eu ainda sou uma vertente de sonhos e de idéias
E não deixei morrer em mim a esperança
E acordo disposta a ser feliz

Perguntem pelos beijos e pelos abraços incontáveis que já dei
A juventude em mim ainda é festa
Aproveito cada instante e bebo a vida gota a gota
E pra mim tanto faz que gota resta

Não me perguntem quantos anos tenho
Mas quantos amigos ganhei
Perguntem das lágrimas que chorei
Dos livros que li, dos meus poemas e dos meus dilemas


Queiram saber quantas histórias sei contar
Assim vocês saberão que as marcas no meu rosto
São os mapas dos atalhos que tive de fazer
E saberão , por certo, que eu vivi.

Maria Alice Guimarães

6 comentários:

Nilce disse...

Oi, Maria Alice

Eu sofro com saudades de seus versos deliciosos.
Muito lindo, profundo... Parabéns!

Bjs no coração!

Nilce

Vera Rolim disse...

Magnífico, como tudo que vc escreve!!!!
Bjs

Maria Teresa disse...

Maria Alice:
Quanta sabedoria! A vida vai sendo escrita e vai sendo gravada, mas como é maravilhoso entrar sempre no mundo com o pasmo de um recém-nascido, como já dizia Caeiro. A idade? É o que menos importa.
Beijos

Iram M. disse...

Maria Alice,

Que coisa mais linda!!
Parabens!!!

Beijos

Iram

alyce123 disse...

Queridas !
Obrigada pelos comentários .
De fato , temos muitas coisas lindas guardadas no coração e às vezes , de repente, ela querem sair e ganhar vida própria.

bjos
NILCE, MARIA TERESa, VERA e IRAM

Lista Telefonica disse...

www.sualista.com.br